+55 (45) 3529-2045 plataformasri@pti.org.br

Metodologia italiana fomenta ação de mercado na cadeia do leite, no oeste do Paraná

08/04/19
sri_adm

Metodologia italiana fomenta ação de mercado na cadeia do leite, no oeste do Paraná

Para melhorar a produtividade, entender as perspectivas e projetar ações, estratégias e investimentos para o futuro da cadeira produtiva de leite no oeste do Paraná, a governança Foresight Leite e Derivados, formada por entidades, produtores, cooperativas, empresários da área de laticínios e similares da região, realizou na última segunda-feira (01), no Senai de Toledo, uma reunião técnica para apresentação de um diagnóstico empresarial realizado em 11 laticínios.

A governança Foresight conta com a participação do Sebrae/PR, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Biopark, Adapar, Iapar, PTI, Emater, Senai, AcicLabs, PUC, Unioeste, Frimesa e associações comerciais de Foz do Iguaçu e Toledo (Acifi e Acit). O objetivo principal é fomentar a cooperação entre os produtores e o uso de novas tecnologias, além de dar suporte para a criação de novos produtos derivados do leite, agregando valor à produção.

Foresight é uma palavra em inglês que significa previsão. Junto à empresa italiana Cosmob, a mobilização foca na aplicação das previsões de cenário, crises e clima para preparar o produtor, melhorando a produtividade e rentabilidade da cadeia leiteira. “Este encontro realizado no Senai, em Toledo, marca uma segunda e importante etapa. Queremos gerar valor para os produtores e a cadeia com produtos derivados do leite. Com a metodologia italiana do Foresight poderemos fazer com que os empresários da região criem novos produtos a partir da matéria-prima inicial, que é o leite”, explica o consultor do Sebrae/PR, Edson Braga.

Para ajudar na condução dos trabalhos, a governança conta com a consultoria do italiano e membro do Centro Tecnológico Cosmob, Emílio Beltrami. Segundo a coordenadora estadual da indústria do Sebrae/PR, Adriana Kalinowski, a experiência vinda do exterior poderá auxiliar os participantes do grupo a melhorarem a produção.

“Foresight é uma metodologia aplicada na União Europeia que traz consigo a previsão de cenários futuros, o que é importante no momento atual da economia do nosso país. Na governança, trabalharemos os gargalos tecnológicos para promover a transferência de novas tecnologias para o ecossistema local”, destaca.

Expectativas

Marlova Bombardelli, por exemplo, é sócia-proprietária do laticínio Lactobom de Toledo. Durante encontro da governança realizado no município, no último dia 1º, ela destacou a relevância da união de cooperativas, produtores, laticínios e empresários para fortalecer a categoria no Estado.

Hoje, vivemos um intenso movimento contra o leite. Por isso, precisamos nos unir e mostrar para a comunidade que o nosso leite é bom e faz bem para a saúde. É com a união de todos nós e com a força de uma governança estruturada que poderemos caminhar para uma maior conscientização sobre a importância do consumo de lácteos e, consequentemente, sobre a qualidade do nosso produto”, destaca.

Já o empresário Gilvan Malacarne, proprietário do laticínio Lactomil, em Serranópolis do Iguaçu, acredita que a governança é um grande incentivo para a inovação. “Trabalhar apenas com o leite é quase que insustentável. Por isso, buscamos novas linhas para que a nossa produtividade aumente e a lucratividade acompanhe. Enquanto empresário, procurei formas de inovar e criamos um produto diferenciado que ainda será lançado, porém, vejo que essa é uma oportunidade que poucos têm. Por isso, a governança é essencial, pois vai unir os produtores em prol do crescimento de toda a cadeia leiteira no Oeste”, diz.

A governança pretende realizar mais três encontros durante o ano na região Oeste e, ainda, uma Missão Técnica Internacional que levará os produtores, empresários e parceiros para a Itália. Lá, Emílio Beltrami conduzirá visitas em laticínios e fazendas produtoras de lácteos e os participantes irão visitar a Feira Internacional do Queijo.

Segundo dados fornecidos pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (Seab), as regiões Oeste e Sudoeste concentram as maiores bacias leiteiras do Estado, com produção anual que ultrapassa 2 bilhões de litros de leite, e destaque para os municípios de Francisco Beltrão, Pato Branco, Cascavel, Toledo e Marechal Cândido Rondon. A reunião técnica da governança Foresight também aconteceu em Francisco Beltrão (02/04) e Ivaiporã (04/04).

Fonte: Agência Sebrae