+55 (45) 3529-2045 plataformasri@pti.org.br

Por que investir em startups?

23/10/19
sri_adm

Por que investir em startups?

Startup é uma ótima opção de investimento. Isso se dá porque esse tipo de empresa é baseado em três premissas: tecnologia, inovação e empreendedorismo. Desse modo, elas conseguem oferecer um grande potencial de retorno para quem precisa de uma opção escalável e inovadora.

De acordo com levantamento realizado pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups)o número de startups chegou a 12 mil no país neste ano, conforme indicado pela Startupbase. Assim, são diversas as chances de ganho com esse tipo de investimento.

Ao optar por investir em startups, grandes empresas também impulsionam a economia brasileira. Isso acontece principalmente porque elas surgem com o objetivo de solucionar problemas bastante específicos, fazendo parte de um mercado em expansão mesmo em meio à crise.

Uma das maiores dificuldades que as startups enfrentam é a captação de recursos financeiros. Sendo assim, empresas podem aproveitar essa excelente oportunidade para alavancar seus ganhos e  melhorar o posicionamento no seu nicho de atuação.

Além disso, quando uma organização tradicional realiza investimentos em uma startup, ambas se beneficiam com o capital disponível, experiência e com a agilidade de pesquisa e inovações tecnológicas. Assim, há uma grande chance do resultado dessa sinergia ser inovador e exponencial.

Por que investir em startups?

Existem diversas razões, mas citamos as principais::

Ingresso em novos mercados

O objetivo principal de uma startup é desenvolver soluções inovadoras, a fim de sanar as dores de um determinado público. Os nichos que mais alavancaram tal crescimento no últimos tempos foram a inteligência artificial, as soluções blockchain e as fintechs.

Elas podem atuar tanto no mercado B2B quanto no B2C, fazendo com que esse mercado esteja em uma crescente expansão.

Ao investir em startups, uma empresa acaba incrementando o leque de opções de serviços e produtos presentes no mercado.

Leia também: O SNI e sua relevância para o desenvolvimento nacional

Portfólio diversificado e uma oportunidade de aprendizado

Ao investir em uma startup você passa a fazer parte de um ambiente composto por empresas de segmentos variados. Ou seja, haverá um contato frequente com profissionais inteligentes, qualificados e inovadores.

Dessa forma, as empresas inseridas nesse ambiente ganham mais oportunidade de lapidar o seu conhecimento em relação a diversos temas em evidência no momento, o que melhora o seu posicionamento no mercado, além de enriquecer o seu portfólio.

Retorno financeiro

Apesar da quantidade de startups existentes no mercado brasileiro aumentar anualmente, a concorrência em relação aos investimentos nessas empresas ainda é bastante baixa. Isso acaba facilitando o encontro de boas opções.

O aporte financeiro inicial para investimento em startup costuma ser baixo, principalmente quando comparado à possibilidade de retorno rápido e crescimento no longo prazo.

Assim, há grande possibilidade de multiplicação do valor que foi previamente investido.

Portanto, se o seu objetivo é ter retornos financeiros acima da média, investir em startups é um caminho bastante atrativo.

Gerar nova atividade econômica

Realizar aportes financeiros em uma startup acaba gerando novas atividades econômicas.

Isso acontece porque os empreendedores responsáveis por determinada startup vão sempre direcionar todo o seu esforço e dedicação objetivando alcançar um rápido crescimento organizacional.

Assim, poderá haver a contratação de profissionais especializados, compra de matérias primas e contratação de terceirizados, por exemplo, o que acaba gerando empregos nos mais diversos setores da economia.

Faça parte da revolução tecnológica

Investir em startups pode apresentar diversos benefícios para você e para a sua empresa. Assim, você possui ótimas chances de retorno, além de movimentar a economia com a criação de novos empregos, conexões e oportunidades.

Grupo de Trabalho Indústria-Startup da ANPEI é voltado para a discussão sobre a interação entre esses dois mundos. O comitê promove reuniões periódicas e conta com a participação de empresas e instituições de grande porte, e diversas instituições.

Fonte: Ampei