+55 (45) 3529-2045 plataformasri@pti.org.br

PTI utiliza fontes renováveis de energia para validação de um modelo sustentável de iluminação de ambientes

27/09/19
sri_adm

PTI utiliza fontes renováveis de energia para validação de um modelo sustentável de iluminação de ambientes

As energias renováveis terão crescimento mais rápido no setor de eletricidade, fornecendo quase 30% da demanda de energia em 2023, é o que apontam especialistas na área. No Brasil, a demanda por energia fotovoltaica, oriunda de placas solares, é a que mais cresce, de acordo com dados publicados pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que ainda aponta em aproximadamente 2GW a potência já instalada do país, para a produção de energia fotovoltaica.

Seguindo esse crescimento, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) vem desenvolvendo pesquisas e projetos com o uso de várias fontes renováveis de energia, como a solar, e com alguns exemplos de acumuladores de energia, como células combustível e baterias, que geram energia para iluminação de um dos estacionamentos do Parque Tecnológico.

O arranjo técnico montado utiliza a rede convencional de eletricidade, a energia fotovoltaica, gerada com o uso de placas solares e armazenada em baterias de chumbo-ácido, além da energia gerada por uma célula combustível, que utiliza o hidrogênio produzido na Planta de Produção de Hidrogênio do PTI.

Esse arranjo técnico ainda tem baixa potência instalada e, por isso, está sendo utilizado para iluminar um dos estacionamentos do PTI como uma unidade de demonstração experimental, a qual permitirá analisar o comportamento de cada fonte geradora. A ideia é que esse modelo possa servir de base para outras iniciativas, como um sistema inteligente e sustentável.

Painés fotovoltaicos instalados com o conjunto de baterias, que juntos fornecem energia para um dos estacionamentos do PTI

 

Nesse projeto, o sistema de iluminação pode ter como fonte geradora de energia o banco de baterias de chumbo-ácido, que acumula a energia gerada pelas placas solares, a energia gerada pela célula a combustível e, também, pela própria rede de eletricidade, já que em dias nublados não é possível a geração de energia fotovoltaica.

 

Célula combustível da Planta de Hidrogênio do PTI, que faz parte do sistema sustentável com uso de fontes renovaveis de energia

 

O gestor do Núcleo de Pesquisa em Hidrogênio (NUPHI) do Parque Tecnológico, Ricardo José Ferracin, explica que, além do NUPHI, essa iniciativa conta com a participação técnica das áreas de Infraestrutura e Obras, Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T+I) do Parque Tecnológico.

Ferracin explica ainda que a implantação desse tipo de arranjo permitirá a demonstração da viabilidade técnica e econômica de sistemas híbridos solar/baterias/hidrogênio, permitindo que essa tecnologia ganhe mercado no Brasil nos próximos anos, “tornando-se uma realidade técnica que já está presente em países como Alemanha, Japão, China e USA por exemplo”, ressalta.

Fonte: PTI