+55 (45) 3529-2045 plataformasri@pti.org.br

Sociedades Garantidoras de Crédito ultrapassam meio bilhão de reais em garantias no Paraná

18/06/20
sri_adm

Sociedades Garantidoras de Crédito ultrapassam meio bilhão de reais em garantias no Paraná

As seis Sociedades Garantidoras de Crédito do Paraná atingiram a marca de mais de R$ 500 milhões de garantias concedidas às micro e pequenas empresas do Estado, em maio. O resultado é inédito no Brasil e reforça a importância do sistema, que funciona como uma associação entre empresários e instituições, fornecendo garantias para a obtenção de crédito.

Em linhas gerais a SGC ajuda no acesso ao crédito, oferta garantias, assessora a empresa durante o processo, busca melhores condições de taxas e pagamentos, além de integrar com uma rede empresarial.

“A SGC gera mais segurança às instituições financeiras e disponibiliza avais importantes para linhas especiais facilitando o acesso ao crédito. E tem um aspecto fundamental que é a orientação, pois antes de procurar o recurso financeiro, indicamos a negociação com fornecedores, análise dos indicadores financeiros do negócio e planejamento”, pondera o coordenador estadual de serviços financeiros do Sebrae/PR, Amberson Bezerra.

Nos últimos três anos, os créditos empresariais foram reduzidos nas instituições financeiras. Segundo dados do Banco Central, o saldo da carteira de crédito para as micro e pequenas empresas, entre dezembro de 2016 e dezembro de 2019, sofreu queda de mais de 37%, o que representa menos R$ 120 bilhões disponíveis. Diante do cenário de risco, cooperativas e SGC passaram a se fortalecer no mercado, ampliando os fundos de avais e as carteiras de crédito.

No Paraná, os trabalhos das SGC começaram em 2010 com o esforço do Sebrae/PR, cooperativas de crédito, Fomento Paraná, BRDE, associações comerciais, prefeituras e governo do Estado. Do período em diante, foi possível atender empresários de 260 dos 399 municípios paranaenses, ofertando, além da garantia de crédito, suporte financeiro e consultorias para os negócios.

“A capilaridade e a integração que ocorre entre as SGC do Paraná e entidades parceiras são essenciais. Se não estivéssemos integrados, não haveria fundo de riscos e as empresas teriam muitas dificuldades para custear os valores dos juros. É essa atuação ampla que garante a sobrevivência das empresas, a manutenção dos empregos e a renda familiar dos pequenos negócios”, garante Augusto Sperotto, presidente do conselho administrativo da SGC Central, que representa o sistema.

Por meio das parcerias, os empresários que buscam aval nas SGC para obter créditos também têm acesso a outros serviços. De forma gratuita, é realizada uma consultoria que analisa os cenários da empresa e oferece assessoria técnica.

Em Francisco Beltrão, região sudoeste do Paraná, Eloir Leão, proprietário de uma oficina mecânica, tem um histórico positivo com cinco operações com a SGC GarantiSudoeste. O financiamento mais recente foi há dez meses e os R$ 90 mil reais foram utilizados na aquisição de uma rampa de alinhamento computadorizada e de um equipamento que permite a troca de óleo em câmbios automáticos.

“A carta de aval facilitou muito a liberação de crédito no Sicoob. Eles conseguiram avaliar e me deram oportunidade. Hoje, meu faturamento aumentou praticamente 50%. O empreendedor que leva a sério e paga corretamente tem uma boa oportunidade”, relata Leão, que teve que contratar mais dois colaboradores para operar os novos equipamentos.

Em Umuarama, noroeste paranaense, a confeiteira Carla Sandra Muller Arns, que havia começado de modo informal, recorreu à Noroeste Garantias, com sede em Maringá, a fim de ampliar os serviços. Hoje, com os investimentos realizados, a Magia dos Doces ganhou espaço para produção e salão onde funciona a loja de produtos artesanais e uma cafeteria. A empresa conta, atualmente, com 12 funcionários.

“Na Noroeste Garantias, conseguimos uma carta de aval no valor de R$ 92 mil. Foi o que viabilizou o empréstimo em uma instituição financeira para aplicarmos na ampliação. O negócio está caminhando bem porque temos um produto bem aceito. Embora tenhamos perdido movimento no local por conta da pandemia, enxergamos uma oportunidade para expandir o delivery”, conta Carla.

Com a pandemia do coronavírus, as SGC do Paraná são também uma opção para acessar crédito. “Diante da crise, a maior parte das instituições financeiras recolheu o apoio e diminuiu a carteira de crédito, dados os riscos financeiros que aumentaram de forma não programada. Junto às cooperativas de crédito, as SGC começaram a prorrogar prazos, aumentar ainda mais a carência dos pagamentos e linhas específicas foram criadas. É mais uma prova de que, além do marco a ser comemorado, temos um contexto de resultados a serem celebrados”, conclui o diretor-superintendente da SGC Central do Paraná, Flavio Locatelli Junior.

Fonte: Agência Sebrae