+55 (45) 3529-2045 plataformasri@pti.org.br

Tecnologias em aquicultura são apresentas por Itaipu e parceiros no Show Rural Coopavel

08/02/19
sri_adm

Tecnologias em aquicultura são apresentas por Itaipu e parceiros no Show Rural Coopavel

A aquicultura foi tema das palestras apresentadas na tarde desta quinta-feira (7) no estande da Itaipu Bnacional no Show Rural Coopavel. Três especialistas falaram sobre tecnologias em desenvolvimento para melhorar a produção de peixes, tornar a atividade mais sustentável e reduzir o impacto ambiental.

O colega Celso Buglione explicou sobre a tecnologia dos bioflocos na produção de peixes em tanques-rede. Fotos: Alexandre Marchetti

O engenheiro de Aquicultura Celso Buglione, da Divisão de Reservatório (MARR.CD), falou sobre “Aquicultura sustentável e o cultivo de peixes em sistema BFT (Biofloc Technology)”. Também conhecido como “bioflocos”, esse sistema permite um uso mais racional da água utilizada na produção de pescado. “Tecnologias que reutilizam a água na produção de peixes, como os bioflocos e a aquaponia, são fundamentais para tornar a prática mais sustentável”, comentou Buglione.

A tecnologia, ainda pouco difundida no Brasil, utiliza partículas suspensas (os bioflocos) como uma espécie de filtro biológico, deixando a água sempre em condições para o cultivo de peixe. Na Itaipu, o sistema foi implantado há um ano e meio, e vem dando excelentes resultados.

Com os bioflocos, a água estará sempre disponível para produção dos peixes.

A principal vantagem do BFT é que o produtor não tem a necessidade de renovar a água do tanque para eliminar os efluentes. O sistema também permite uma produtividade maior e reduz a mortandade de peixes, especialmente de alevinos.

Pesquisas

Hamilton Hisano, zootecnista e pesquisador da Embrapa, falou sobre as atividades em Aquicultura desenvolvidas pela Embrapa Brasil. Segundo ele, a atividade é relativamente nova e foca, principalmente, em boas práticas de manejo. “Trabalhamos muito com a parte de alimentação e nutrição, que tem grande impacto em todas as outras áreas relacionadas à produção de pescado, inclusive a questão ambiental”, explicou.

A Embrapa tem parcerias com a Itaipu nas pesquisas em aquicultura.

Um dos principais projetos de pesquisa desenvolvidos atualmente tem como tema a “Avaliação da produção de juvenis de tilápia-do-nilo em sistema de bioflocos”. O projeto está sendo desenvolvido em parceria com a Itaipu – as duas instituições colaboram mutuamente nas pesquisas de aquicultura.

O projeto ainda está em andamento. “Queremos ter tudo muito bem definido, muito ajustado, antes de repassar ao produtor, para que seja realmente possível colocar esse projeto em prática”, disse Hisano.

Tecnologia

“Melhoramento genético da tilápia” foi o tema da terceira palestra do dia, apresentada pelo professor aposentado Elias Nunes Martins, do departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Após apresentar um breve panorama da tilapicultura, enfatizando o alto potencial de crescimento da atividade no Oeste do Paraná, ele falou sobre o projeto que vem sendo desenvolvido na área.

O melhoramento genético da tilápia é foco das pesquisas do departamento de Zootecnia da UEM.

“O material genético determina o potencial de desempenho e a qualidade do produto. O que queremos é selecionar exemplares e fornecer, com segurança, alevinos com alto potencial de produção”, explicou o professor.

A questão do melhoramento genético da tilápia foi eleita como uma das prioridades do Programa Oeste em Desenvolvimento. O projeto, desenvolvido com apoio da Itaipu, está elaborado e em busca de parceiros para ser implantado.

Fonte: JIE – Jornal de Itaipu Eletrônico